Ir para o conteúdo principal

O porquê do título “Bíblia Dálet”

Bíblia Dálet não foi um título escolhido aleatoriamente. A escolha do referido título se deu pelo fato do Altíssimo ter me revelado a verdadeira pronúncia do seu nome, usando como referência o caractere hebraico dálet, que significa “porta”. O dálet principia a palavra “daat”, cuja tradução é: conhecimento. Então o dálet foi para mim o elemento principal, por meio do qual o Altíssimo me revelou o conhecimento da verdadeira pronúncia do seu nome, o qual é composto pelos 4 caracteres , os quais lidos da direita para esquerda, são: Yud, , Vav, , e transliterados para o alfabeto universal é YHWH, também conhecido como Tetragrama Sagrado. A pronúncia desse nome é um segredo do Altíssimo, por isso ela permanece oculta à maioria dos religiosos, pois ela não está condicionada ao conhecimento humano, como que fosse alcançada por meios de estudos, ou formação superior.

Tal revelação seu deu na madrugada do dia 14 do mês de Abril de 2017, como que numa visão, na qual o caractere do alfabeto hebraico, que é o dálet, veio e entrou na posição do nome composto por 4 caracteres. Então formou o nome YAHUDAH (que se lê: Yaudá). A seguir o dálet foi retirado, o qual havia sido introduzido na posição do nome composto por 4 caracteres e novamente eu li, e sua pronúncia era Yauá, (que na transliteração é Yahuah). Então como que uma voz disse na minha mente: Essa é a verdadeira pronúncia do meu nome! E confirmando essa revelação por meio de uma espécie de matemática, tendo como base o número 4, naquele momento, instantaneamente o Altíssimo direcionou a minha mente para a relação da linhagem da promessa, onde o patriarca Avraham (Abraão) é o 1º da lista e Yahudah é o descendente, e magnificamente Yahudah é também o filho de Yaaqov (Jacó). Outro detalhe interessantíssimo é que Yahudah é o único homem que recebeu em seu nome os 4 caracteres do nome Criador, com a adição apenas do dálet, que simboliza “porta”. O Altíssimo também me revelou que cada um dos 4 caracteres do seu nome sagrado tem uma fonética independente, isto é, cada caractere tem o seu próprio som, não necessitando de sinais massorético e nem dependendo de seu posicionamento no nome, como que isso pudesse alterar sua pronúncia. As regras normativas existentes em nossos dias surgiram bem depois da divulgação da forma verbalizada do nome. Portanto, o nome do Eterno nunca necessitou de tais coisas para que fosse foneticamente conhecido.

Quer creiam ou não, essa foi a revelação que o Altíssimo me deu, sendo eu um homem indigno de receber tamanha bênção.